diagnóstico pré-natal

Desde sempre que COGE – Clínica da Santa Casa de Espinho tem como uma das prioridades promover a saúde materna e do feto.

Por isso, todos os obstetras da nossa equipa clínica são profissionais qualificados e com ampla experiência na vigilância da gravidez, baseando toda a sua conduta em protocolos individualizados consoante os fatores de riscos inerentes.

Se a vigilância e controlo da saúde materna é fundamental, não menos importante é a avaliação do desenvolvimento do feto de modo a promover o nascimento futuro de um bebé saudável: a COGE – Clínica da Santa Casa de Espinho tem uma equipa vocacionada para o diagnóstico pré-natal, que através da realização de exames específicos no “timing” correcto, permitem atingir esse objetivo.

ecografia obstétrica
– 12 semanas (11-13S) – Rastreio combinado do 1º trimestre
avaliação da morfologia fetal
avaliação da translucência da nuca + rastreio bioquímico do 1º trimestre*
(calcula o risco de um feto ser afetado de anomalia cromossómica, nomeadamente Síndrome de Down).

– 20 semanas (18-22S)
avaliação completa da morfologia fetal
(o feto nesta fase está completamente formado)

– 30 semanas (28-32S)
avaliação do perfil de crescimento fetal
(despiste de anomalias morfológicas fetais de aparecimento tardio)

ecocardiografia fetal
– 22-23 semanas
avaliação da morfologia e da dinâmica cardíaca fetal
(aconselhada em situações de risco acrescido para cardiopatia congénita)

colheita de produtos fetais
Quando há necessidade de estudo cromossómico*, genético* ou
infecioso* fetal
– biópsia das vilosidades coriónicas
(vilosidades coriónicas – placenta)

– amniocentese
(liquido amniótico)

– cordocentese ou funiculocentese
(sangue do cordão umbilical)

*Colaboração com o Centro de Genética Clinica, que também disponibiliza o acesso à Consulta de Aconselhamento Genético